Relatório de atividades – 2014


MURPI – A VOZ DAS ASSOCIAÇÕES DE REFORMADOS

Dissemos que um dos objetivos para 2014 era reforçar a importância da intervenção institucional e pública da Confederação MURPI como organização nacional representativa dos reformados.

Definimos que este objetivo seria realizado através do reforço das atividades das Federações, procurando interagir com as suas atividades.

O agravamento da situação social e económica do País, com marcados reflexos na camada social dos reformados, constituiu uma preocupação constante no desenvolvimento de ações e iniciativas promovidas pela Confederação MURPI

Em 2014, três grandes iniciativas marcaram a ação e as atividades da Confederação MURPI, a saber:

– MARCHAS DE ABRIL

– 19º PIQUENICÃO NACIONAL

– DIA MUNDIAL DO IDOSO.

Estas três realizações promoveram a mobilização da ação dos dirigentes da Confederação, das Federações e de muitas Associações.

1 – As MARCHAS DE ABRIL foram a maior e mais expressiva realização do MURPI desde a sua fundação em 1978.

Foi a resposta necessária, na sua expressão de protesto e de luta contra a política do Governo, sustentado pela maioria parlamentar PSD/CDS-PP, contra a sua política de austeridade e de desrespeito pelos mais elementares direitos dos reformados.

A política de saque e de rapina nos cortes dos rendimentos e nos direitos dos reformados mereceu uma justa e significativa ação de protesto dos reformados, pensionistas e idosos portugueses.

A capacidade de mobilização de milhares de reformados, nas seis cidades onde tiveram lugar as MARCHAS DE ABRIL, revelou o trabalho desenvolvido pelos dirigentes das Federações e Associações integradas na Confederação MURPI, permitiu restabelecer o diálogo com os seus associados, e reafirmou a adesão de mais de uma centena e meia de Associações ao projeto do MURPI, como organização nacional pioneira e mais representativa do movimento associativo dos reformados.

O impacto desta iniciativa a nível nacional possibilitou a quebra da barreira do silêncio que a Comunicação Social tem imposto na divulgação das iniciativas desenvolvidas pelo MURPI, na defesa dos direitos dos reformados portugueses.

A realização das MARCHAS DE ABRIL reforçou a coesão do MURPI, determinou a exigência e a necessidade de elevar ainda mais o patamar da sua intervenção nacional e afirmação como organização mais representativa dos reformados – A VOZ DAS ASSOCIAÇÕES DOS REFORMADOS.

2 – REFORÇO DO MOVIMENTO ASSOCIATIVO

Em 2014, foram criadas mais seis novas Associações: Braga (1), Porto (2), Santarém (2) e Beja (1) e aderiram 2 duas novas Assocciações (Setúbal).

Foram dados importantes passos com o objetivo de criar a Federação das Associações do Litoral Alentejano, estando a aguardar a realização de um plenário das Associações de Grândola, Alcácer do Sado, Odemira e Alvalade Sado para a sua concretização.

Foram ainda dados passos no sentido da criação de Associações em Aveiro, Coimbra e Cartaxo, e realizou-se a eleição dos corpos sociais da Federação de Leiria.

Os dirigentes da Confederação MURPI estiveram presentes em numerosas realizações das Associações (festas de aniversário, comemorações do 25 de Abril e do Dia do Idoso, festas de Natal e outras).

As Federações Distritais realizaram muitas iniciativas públicas de protesto ao longo do ano que mereceram o apoio e a solidariedade dos dirigentes da Confederação MURPI.

Também marcámos presença no Piquenicão Distrital de Setúbal e nas comemorações do Dia Municipal do Idoso no Concelho do Seixal.

A participação nos trabalhos do Encontro Distrital dos Dirigentes das Associações do Distrito de Setúbal que teve lugar na Freguesia da Amora, em 15 de novembro, constituiu um importante marco no reforço da coesão do MURPI.

3 – INTERVENÇÃO DO MURPI NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 

Em janeiro de 2014 a Direção da Confederação MURPI teve a oportunidade de defender, na 10ª Comissão Parlamentar, as razões que nos assistem na defesa da exigência do reconhecimento do MURPI como parceiro social, aguardando a aprovação do projeto de lei que contempla a representação dos reformados no Plenário do Conselho Económico e Social.

Todas as moções, resoluções e comunicados da Confederação MURPI foram enviados a todos Órgãos de Soberania.

4 – PARTICIPAÇÃO E CONVERGÊNCIA COM OUTRAS ORGANIZAÇÕES UNITÁRIAS 

A convergência na ação com as iniciativas da InterReformados/CGTP, a participação nas iniciativas promovidas pela CGTP-INTERSINDICAL, a integração na Comissão Organizadora das Comemorações Populares do 25 de Abril, a intervenção nas ações promovidas pela Plataforma de Saúde em Lisboa e a presença no Congresso da CNOD e na vigília diante da Assembleia da República, promovida pela CNOD, no dia mundial dos deficientes e na iniciativa do Movimento para Erradicação da Pobreza, constituíram algumas das intervenções e participações do MURPI.

5 – ATUALIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DO JORNAL “A VOZ DOS REFORMADOS”

Apesar da jornada de reflexão que fizemos sobre o conteúdo e a forma do Jornal e da proposta de alteração feita por uma “designer”, não conseguimos alterar a forma de apresentação do mesmo; este fato decorre dos condicionalismos financeiros e da falta de apoio de um jornalista que ajude a selecionar os temas e os textos.

Em todo o caso, é de registar a sua melhoria progressiva, fruto da discussão e programação dos futuros números nas reuniões do Secretariado.

Os contributos valiosos dos colaboradores do Jornal têm tornado possível a melhoria do seu conteúdo.

Entre o número de novos assinantes e aqueles que desistiram da sua assinatura, podemos afirmar que o saldo é muito positivo, embora não tenhamos atingido a meta de 500 novos assinantes em 2014.

Devemos manter e intensificar a campanha de angariação de novos assinantes com o apoio dos dirigentes das Federações e Associações de Reformados, a partir de experiência diversificada na sua concretização: assinaturas solidárias, campanha de assinatura “Cada dirigente é um Assinante do Jornal”, Clube de Leitores do Jornal e outras formas de adesão.

6 – REALIZAÇÃO DO GRANDIOSO PIQUENICÃO DE GRÂNDOLA

Foi uma aposta ganha, com a realização do 19º Piquenicão Nacional, em Grândola, onde participaram mais de cinco mil pessoas e atuaram mais de cinquenta Grupos Culturais das Associações dos Reformados (Cantares, Ginástica, Dança, Teatro), e que contou com o empenho dos dirigentes e ativistas da Associação de Reformados de Grândola, dos dirigentes da Confederação e das Federações e o apoio da Câmara Municipal de Grândola.

Esta iniciativa maior foi um justo contributo dos reformados e da sua organização à comemoração dos 40 Anos da Revolução de Abril.

Apesar da grandeza do evento e apesar dos esforços da sua divulgação, os meios da Comunicação Social silenciaram esta grandiosa iniciativa.

7 – COMEMORAÇÃO DO DIA MUNDIAL DO IDOSO

Anualmente, a Confederação e as Associações assinalam com iniciativas diversas a celebração do DIA MUNDIAL DO IDOSO; em 2014, a Direção da Confederação MURPI decidiu sinalizar a sua comemoração com iniciativas por todo o País, publicitadas através do cartaz alusivo, sob o lema: QUEREMOS ABRIL NAS NOSSAS VIDAS E NA VIDA DOS NOSSOS NETOS e a divulgação duma mensagem de solidariedade, de confiança e de luta.

8 – SITUAÇÃO FINANCEIRA MAIS DEBILITADA

Para dar respostas às numerosas iniciativas aqui relatadas foi necessário produzir muito material que desse visibilidade às ações do MURPI.

Contámos com o apoio financeiro solidário das Federações e de outras organizações unitárias que muito contribuíram para fazer face às despesas de realização destas iniciativas.

Embora tenha havido a recuperação das quotas em atraso de muitas Associações, verificamos que existe um atraso significativo na sua cobrança, que associado ao valor baixo da quotização tem reflexos na situação financeira debilitada da Confederação.

Por outro lado, registou-se um atraso na cobrança dos valores devidos pelos assinantes do Jornal.

9 – ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Continuamos, por motivos financeiros, a não poder contratar um (a) funcionário (a) que realize atos administrativos, libertando os dirigentes dessa atividade.

A informatização de muitos procedimentos simplificou algumas tarefas, mas continuamos a não poder dar resposta simultânea às necessidades administrativas e à intervenção política organizativa junto das Federações e Associações.

10 – ATUALIZAÇÃO DA PÁGINA DA INTERNET

Finalmente conseguimos, com muita dificuldade e empenho, ter uma página na internet que divulga o Jornal e as iniciativas do MURPI.

Também nesta área fundamental continuamos a não poder contar com a colaboração regular de alguém, com a consequente sobrecarga de tarefas de um dos membros do Secretariado do MURPI.

CONCLUSÕES:

– Foram cumpridos os objetivos do Plano de Atividades para 2014.

– Reforçou-se a coesão e a intervenção pública do MURPI

– Necessitamos encontrar soluções que contemplem o reforço de quadros da Direção, encontrar colaboradores para a área informática e administrativa da sede da Confederação, estudar e promover o aumento de receitas da Confederação através duma maior contribuição financeira dos seus associados.

A Direção da Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos MURPI

Lisboa, 10 de março de 2015.