Desafios exigentes que estão colocados aos dirigentes do movimento associativo dos reformados, pensionistas e idosos. Juntos saberemos enfrentá-los

APELO
Ao longo do ano de 2020, a Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos MURPI tomou diversas posições sobre as múltiplas dimensões da situação excecional, no contexto da pandemia da COVID-19, norteada pela importância da proteção dos mais idosos e igualmente na advertência de que os direitos deste grupo social não podem ficar “confinados”.

Importa realçar e valorizar a ação dos dirigentes das Associações – mulheres e homens – que num contexto difícil têm continuado a intervir realizando reuniões dos órgãos diretivos e procurando criar condições de proteção e de promoção do bem-estar dos seus associados, no apoio domiciliário aos utentes dos centros de dia cujas atividades foram suspensas, contando com o apoio, a dedicação e a abnegação dos trabalhadores e dirigentes das Associações.

Por razões de proteção sanitária, as atividades dos centros de dia e de convívio foram suspensas, uma realidade que aprofundou as situações de solidão e de isolamento social dos seus associados e que criam dificuldades financeiras que só podem ser ultrapassadas com o apoio financeiro do Estado.

Apelamos aos dirigentes do movimento associativo, defender a continuidade das Associações de Reformados, reequacionando, logo que haja condições a sua reabertura e o funcionamento com:

  • A continuação do regular funcionamento das direções,
  • A exigência no apoio logístico e financeiro para criar condições de segurança sanitária das instalações para reabertura dos centros de convívio e de centros de dia,
  • A prática de atividades culturais como o canto, a música, a leitura, a poesia e das artes plásticas,
  • A prática de jogos tradicionais.

Apoiamos a defesa do papel das Associações de Reformados como importantes centros cívicos de associativismo que privilegiam atividades que contribuem para uma sã convivência cívica e democrática, de solidariedade e da participação social, política, cultural e desportiva dos seus associados.

Apelamos a todos os dirigentes das Federações e da Associações a planearem propostas, utilizando todos os meios de comunicação, para que 2021 corresponda aos desafios do presente, para que seja um ano de esperança e de confiança para que juntos consigamos ultrapassar os desafios do presente.

Apelamos ainda aos dirigentes associativos com quem estamos solidários, que assegurem o funcionamento regular das direções, preservando a autonomia e independência, reivindicando do poder central condições financeiras que salvaguardem os direitos dos seus trabalhadores, o financiamento dos reequipamentos, assegurando as condições de segurança sanitária dos centros de convívio e de dia, exigindo o cumprimento da Constituição da República Portuguesa na política de defesa da 3ª Idade.

Com confiança venceremos.

A Direção da Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos MURPI